Névoa, Kathryn James





  • Título: Névoa
  • Autor(a): Kathryn James
  • Editora: Farol Literário
  • Ano: 2013
  • Páginas: 336
  • Cortesia da Editora Farol Literário
Gwen, uma garota de 15 anos, marca sua festa de aniversário no meio da mata. Sua irmã Nell sabe dos perigos de fazer uma festa na floresta, mas Nell não consegue impedir a irmã. Gwen é levada pela névoa da floresta. Somente Nell sabe quem está por trás do sequestro de sua irmã – o garoto que ela imaginava ser seu amigo, o belo e misterioso Evan River. Evan não é um garoto comum – ele tem um segredo que fará com que Nell questione tudo o que ela sempre ouviu de sua avó: que as histórias sobre as meninas perdidas fossem apenas contos de fadas. Evan vive à margem do mundo de Nell, raramente vislumbrado, incompreendido e temido. Um confronto entre os dois mundos está prestes a começar.

Uma ótima história, com um enredo rico e apaixonante, mas que foi contada de um jeito bem bobo. Nell é uma menina muito curiosa, ela não sabe o porquê, mas sempre é atraída por coisas estranhas, coisas que não consegue controlar. Essa sua peculiaridade é o que faz com que ela se sinta tão diferente a sua família. Nell mora com sua mãe – a policial Jackie – e sua irmã – a popular Gwen. As três vivem em uma casa cujos fundos dão para o bosque, aquele que protagoniza todas as histórias de terror que sua avó costumava contar.

A regra é: se você ver a névoa, não entre nela. Na noite de seu aniversário, a inconsequente Gwen decide que quer fazer sua festa de aniversário dentro do bosque, e não importa o que todos digam, nem o quanto sua irmã mais nova implore para que não faça, ela não muda de ideia. O que ninguém sabe é que essa festa pode mudar todo o curso da vida de sua família. Como diz a lenda, a cada 100 anos, o Elfo-Rei vem buscar uma menina humana como parte de sua vingança, uma vez que sua própria filha foi tirada de si. Tudo era apenas um conto de fadas horripilante até que não era mais conto de fadas coisa alguma.

Apesar de ter apenas 13 anos de idade – o que me surpreendeu por ser uma personagem centrada, interessante e inteligente –, Nell é a chave para os acontecimentos da trama do livro. Ao contrário de muitas mocinhas que vemos nos outros livros, gostei de suas atitudes, uma vez que não pisca os olhos para salvar sua irmã, ela apenas faz porque sabe que é a coisa certa a se fazer. Pouco me identifiquei com Nell, por causa de sua pouca idade, mas ela foi tão bem construída que foi quase impossível eu não me importar com ela, não tomar as dores dos problemas que ela tem com o pai ou com a irmã.

Para completar a série de acontecimentos malucos, pouco tempo antes de acontecer a festa, Nell conhece Evan, um garoto de sua escola que, assim como ela, não tem amigos. Ela parece ter finalmente feito um. Mas os problemas parecem só surgir. O que Evan tanto faz dentro do bosque? Como ele faz tantas coisas estranhas? Como é que ele sabia que algo aconteceria dentro do bosque?

Gostei da maneira como o livro foi direcionado, das motivações para que a protagonista Nell fizesse algo. Apesar de suas atitudes serem de uma garota madura, ela certamente tinha a mentalidade de uma irmã mais nova que quer salvar sua irmã acima de tudo. Esse fato manteve os pés do livro no chão. Nell pode até salvar o mundo, mas primeiro busca o que está ao seu alcance.

Névoa é um livro com uma narrativa tão fluida que quando você pensa que se passaram dez páginas, na verdade se passaram 30. Kathryn trás o mistério entre suas entrelinhas, toda a sutileza para situar o leitor enquanto conta uma história é encantadora. Uma pena que o modo como tudo foi narrado fez com que eu me sentisse uma leitora boba. Reconheço, entretanto, o crescimento de seus personagens principais na reta final do livro e arrisco dizer que tem coisa boa vindo no próximo volume. Mal posso esperar!

A Outra Vida, Susane Winnacker



  • Título: A Outra Vida
  • Autor(a): Susane Winnacker
  • Editora: Novo Conceito
  • Ano: 2013
  • Páginas: 272
  • Cortesia da Editora Novo Conceito
O mundo de Sherry — de uma hora para outra — mudou completamente. Por causa de um vírus muito contagioso, as pessoas que ela costumava conhecer, e quase todas as pessoas de sua cidade, Los Angeles, na Califórnia, se transformaram em mutantes assustadores. Esses mutantes têm uma força excessiva, são ágeis, o corpo é coberto de pelos, eles lacrimejam um líquido imundo e… comem gente! Portanto, não há muito o que fazer — talvez tentar fugir — quando se encontra algum deles. A não ser que você tenha ao seu lado a força e a determinação de um jovem como Joshua. Joshua perdeu uma irmã para os mutantes e sua raiva é tão grande que ele seria capaz de vingar todos aqueles que perderam alguém para as criaturas. No entanto, para que esta revanche aconteça, é preciso prudência. Afinal, até que ponto a disseminação deste vírus foi uma coisa realmente natural? Que poderosos interesses estão por trás desta devastação? E será que Joshua e Sherry conseguirão ter a cautela necessária para lutar contra as criaturas justo agora que seus corações estão agitados pelo começo de uma paixão?

Distopias de hoje, nova febre literária, estão lutando pelo enredo mais cativante, mais original. É interessante estar no meio dessa briga, sendo eu uma amante do gênero. Gosto de ver no que vai dar livros como Delírio, Jogos Vorazes, Divergente e, a bola da vez, A Outra Vida. Fiquei feliz por minhas expectativas terem ido neutras, pois fui surpreendida positivamente.

Sherry e sua família estão presos em um refúgio há três anos, desde que o governo determinou que as pessoas se isolassem até que o vírus da raiva fosse controlado. Quando contaminadas pelo vírus, as pessoas perdiam toda sua humanidade, tornando-se assassinos impiedosos, principalmente com aqueles que sobreviviam. Acontece que a raça humana esteve muitos e muitos séculos acomodada nessa vida em sociedade que adormeceu quase completamente seus instintos de defesa e autopreservação. Agora, eles estão sendo caçados. Quando a comida acaba, Sherry e seu pai saem em busca da sobrevivência de toda a família, mas mal sabia eles o que encontrariam do lado de fora de seu superseguro refúgio.

A Outra Vida é um livro simples, mas com um gancho para algo muito interessante. Esse primeiro volume foi bastante introdutório, focado mais nas descobertas de uma família que acaba de deixar o completo isolamento, conhecendo a nova sociedade que se forma diante das circunstâncias nada otimistas. Nos vemos diante das mesmas dúvidas que nossa protagonista, o que dá um toque a mais no mistério que envolve toda a epidemia. Seriam elas as únicas pessoas vivas no mundo inteiro? Para onde a epidemia se espalhou? Para onde foi o governo?

O livro de Susane Winnacker tem muitos personagens que foram apresentados com um pouco de desorganização. Tudo bem, esse mundo devastado é apresentado à Sherry como um tapa, assim como para nós, mas me peguei constantemente confundindo os personagens, pois todos eles foram apresentados muito rapidamente, o que acarretou em confusão. Quem é Larry? Seria ele o cientista ou o marido da enfermeira? E a enfermeira? Karen ou Marie? Demorei um pouco para me familiarizar com todos eles, espero me sentir um pouco mais confortável em relação a isso no próximo volume.

A Outra Vida é um livro que você não pode evitar almejar por sua continuação. Apesar de um pouco apressado, seu final é daqueles que nos deixam ansiosos pelo que está por vir. Minha sensação é de que a história de fato começa em seu segundo volume. É lá que mora os verdadeiros mistérios. O primeiro livro serviu mais como um grande e divertido prólogo para nos deixar ansiosos pela verdadeira história.

Sorteio: Reiniciados, Teri Terry





Viu como curti o livro da Teri Terry? Eu poderia dar mil motivos para vocês participarem dessa promoção, mas acho que nem é preciso, certo? Então, não perca tempo!

Regras e informações

Responder com sinceridade as questões do formulário a seguir, caso contrário, a participação será desconsiderada.
Ter endereço de entrega no Brasil
O envio do prêmio é feito pela Editora Farol Literário.
O ganhador tem 48h para responder o e-mail, a contar do momento em que foi enviado.
O resultado será anunciado no dia 18/09 nas redes sociais do blog, que você pode encontrar na barra lateral do layout.

Boa sorte!

a Rafflecopter giveaway


Reiniciados, Teri Terry





  • Título: Reiniciados
  • Autor(a): Teri Terry
  • Editora: Farol Literário
  • Ano: 2013
  • Páginas: 432
  • Cortesia da Editora Farol Literário
As lembranças de Kyla foram apagadas, sua personalidade foi varrida e suas memórias estão perdidas para sempre. Ela foi reiniciada. Kyla pode ter sido uma criminosa e está ganhando uma segunda chance, só que agora ela terá que obedecer as regras. Mas ecos do passado sussurram em sua mente. Alguém está mentindo para ela, e nada é o que parece ser. Em quem Kyla poderá confiar em sua busca pela verdade?

Distopias são sempre grandes aventuras para mim! Novas sociedades, novas idealizações e formas de assustar com uma sociedade louca. É cada autor com uma ideia genial que nos leva para um mundo que já nem parece mais o nosso. Ainda mais quando se fala em um país que perdeu o rumo devido a revoluções comandadas pelos jovens da Inglaterra. Se relaciona bem com o momento que o nosso país vive, não? Pois é. Acontece que no começo, essas revoluções eram pacíficas, mas que terminavam não gerando nenhum resultado, o que fez com que os manifestantes partissem para a violência.

Em Reiniciados, conhecemos a realidade de uma Inglaterra daqui a mais de 50 anos, que já não tem contato com nenhum país exterior. Para lidar com essas manifestações violentas – cujos manifestantes foram chamados de terroristas – o governo inglês criou um tratamento que “reinicia” o cérebro de jovens criminosos. Kyla é uma reiniciada, ela não se lembra de nada de sua vida anterior, muito menos o que fez para ser imposta a essas condições, mas ela sabe que é diferente, ela não se comporta como os outros reiniciados, não pensa como os outros e parece ter uma facilidade muito maior para aprender. Seria possível que algo tenha dado errado ao ser reiniciada? A única coisa que ela sabe é a frase que persegue seus pensamentos: Kyla é diferente.

Como Salvar um Vampiro Apaixonado, Beth Fantaskey




  • Título: Como Salvar um Vampiro Apaixonado
  • Autor(a): Beth Fantaskey
  • Editora: Arqueiro
  • Ano: 2013
  • Páginas: 272
  • Cortesia da Editora Arqueiro
Quando Jessica Packwood descobriu que era uma princesa vampira romena, sua pacata vida adolescente virou de pernas para o ar. Ela precisou fazer as pazes com seu passado e vencer muitos obstáculos para ficar com seu belo príncipe, Lucius Vladescu. Depois de se casarem na Romênia, agora Jessica e Lucius devem unir os clãs mais poderosos dos vampiros e estabelecer a paz de uma vez por todas.
Mas primeiro ela vai ter que convencer uma nação inteira de vampiros ardilosos de que tem plenas condições de se tornar rainha. O problema é que Jessica nem mesmo consegue pedir uma refeição decente aos empregados de seu castelo, quanto mais lidar com súditos mortos-vivos malignos que adorariam vê-la fracassar.
Tudo se complica ainda mais quando Lucius é acusado de assassinar um vampiro Ancião e é condenado à masmorra, onde espera pelo julgamento que pode levá-lo à morte. Jessica então se vê em apuros, lutando não só pela vida de seu amado, mas também pela própria sobrevivência em um mundo repleto de intrigas.
Desesperada para provar a inocência do marido, ela conta com a ajuda de sua melhor amiga, Mindy Stankowicz, e do misterioso primo italiano de Lucius, Raniero Lovatu. Mas será que a princesa pode mesmo confiar neles?

Eu tinha colocado o livro Como Se Livrar de um Vampiro Apaixonado em uma das listas do blog que se chama “Li o primeiro, mas não vou ler a continuação”, afirmando – é claro – que nunca leria a continuação de tal livro. Mas acontece que a vida é uma caixinha de surpresas (há) e a gente nunca sabe o dia de amanhã, tanto foi que a Arqueiro me ofereceu um exemplar, e eu, de repente, quis. Mas, gente, o problema é que fazia uns três anos desde que li o primeiro volume (e não tinha nem lido o conto O Casamento que fica entre os dois livros) e pouco me lembrava da escrita da autora, muito menos dos motivos que me levaram a não gostar tanto assim do livro da Beth Fantaskey.

Como Salvar Um Vampiro Apaixonado foi uma decepção em proporções um pouco maiores. Enquanto a primeira parte da história fala sobre um casal de adolescentes se conhecendo, ainda que em circunstâncias estranhas, isso caracterizava bastante um livro jovem adulto. Como eu descrevi em minha resenha, o que mais me desagradou na história, foi como a autora foi imprudente na mudança de atmosfera dentro do livro. Temos um enredo que se divide entre divertido e despretensioso e sombrio e desnecessário. O segundo livro se apegou a essa segunda parte, quando o mocinho Lucius – o vampiro que tantos dizem ser poderoso e temeroso, mas que não passa esse traço de personalidade em momento algum – deixou de ser galanteador pra se tornar chato.

Em Como Salvar Um Vampiro Apaixonado, Lucius está, sim, muito chato e tedioso. Mas isso não é um problema, pois logo um crime acontece, forçando-o a ficar longe de sua amada Jess – ou Antanasia – e, ainda bem, também longe das nossas vistas (apesar das poucas cartas que escreve). O livro foca, então, em uma das mocinhas mais chatas desde Bella Swan, que fica quase desnorteada sem seu amado, e busca tomar atitudes apenas em momentos de pressão (tudo bem, eu também ficaria perdidinha se meu homem sumisse de uma hora para outra, me deixando para reinar os vampiros maquiavélicos sozinha, mas se o livro tivesse sido escrito sendo eu a protagonista, ele não seria menos chato do que já é!). Lucius, então, muito inteligente e perspicaz, chama um grande amigo para cumprir seu papel de guia e protetor, nos prevenindo de – Deus nos livre! – ver uma protagonista de virando sozinha e sendo badass! Quem quer isso, não é?

Em um enredo paralelo, a melhor amiga de Jess, Mindy, nos diverte com seu romance louco com o vampiro Raniero – relacionamento que nasceu no livro O Casamento (tive que ler o e-book porque fiquei um pouco perdida em alguns aspectos quando comecei a ler o segundo volume; não é realmente necessário, mas foi incômodo). Esse romance, que tem um certo espaço na história, foi o que me fez dar continuidade à leitura, pois pude, pelo menos, ignorar o enredo que achei chato e me focar em algo mais interessante, com um casal com um pouco mais de carisma.

Em minha opinião, quem leu o primeiro volume poderia muito bem parar nele e ignorar O Casamento e Como Salvar Um Vampiro Apaixonado.

Um Herói Para WondLa, Tony DiTerlizzi



  • Título: Um Herói para WondLa
  • Autor(a): Tony DiTerlizzi
  • Editora: Intrínseca
  • Ano: 2013
  • Páginas: 386
  • Cortesia da Editora Intrínseca
Eva Nove está a bordo de uma aeronave, cruzando o planeta Orbana rumo à cidade humana de Nova Ática. Ela tem certeza de que esse é o modo perfeito de começar uma nova vida ao lado de Andrílio, seu amigo caeruleano — em especial após a perda trágica de Mater, a robô que cuidava da menina desde seu nascimento. Contudo, como muitas outras coisas em Orbona, as aparências enganam. No novo lar, Eva não apenas encontra pessoas — esse foi o sonho que guiou sua busca desde o início —, mas também descobre os segredos dos Santuários e o passado de seu mundo. E quando dúvidas vêm à tona, ela se pergunta se ter ido para Nova Ática foi uma decisão acertada.

A mistura entre fantasia e distopia nos livros dessa trilogia sempre me inspirando bons ares. Faz tempo que não vejo um autor com não só uma escrita única, mas um mundo nunca visto, tão original que brilha os olhos. Tony trás de volta sua heroína Eva Nove que finalmente consegue entrar em contato com outro humano.

A saga em que Eva Nove percorre é de constante aventura, sempre conhecendo novo ares, novos lugares. Desta vez, Eva busca Nova Ática, onde, pela primeira vez, ela pode perceber o que é estar entre seus semelhantes, mas parece que aí é nesse momento em que ela começa a se sentir a estranha. O seu desejo, que a guiou desde o inicio da sua aventura, parece cada vez mais duvidoso, ainda mais sem Mater, ou Andrílio para apoiá-la. Eva percebe que os moradores de Nova Ática pouco têm noção do que acontece fora dos limites do lugar, muito menos dos seres que lá vivem, aqueles que despertarem seu planeta há muito tempo adormecido. O mais estranho ainda é o prefeito da cidade – Cadmus – cujas intenções parecem ser duvidosas.

A nova jornada de Eva Nove se depara com perigos que ainda não conhecemos, que Eva nem desconfia que existem. Perigos piores e mais cruéis do que o animal feroz que os perseguiu no primeiro volume. Tony, novamente, faz um trabalho incrível ao passar um novo mundo pelos olhos de uma menina que, até ontem, não conhecia nada além das espessas portas de sua casa. Alguém cujo lar foi destruído, forçando-a a conhecer o mundo exterior antes mesmo que estivesse preparada. Eva Nove está muito longe de ser a típica heroína, gosto como Tony não faz uso de artifícios forçado muito visto em protagonistas em geral para cativar o leitor, ele não precisa de um bom romance ou qualquer outro apego para deixar o leitor fascinado, apenas uma heroína em busca da verdade e do conhecimento, trazendo ainda grandes lições de amizade.

Para mim, foi impossível deixar de comprar Tony com Rick Riordan, que conquistaram leitores sem precisar de muito mais do que uma criatividade que não se pode medir. Além de que ambos têm o talento suficiente para conquistar leitores de todas as idades, apesar de ter uma faixa etária bem delimitada.

Além disso, mais uma vez o livro está repleto de ilustrações feitas pelo próprio autor, além de chaves desenhadas que levam a recursos especiais, onde podemos nos integrar ao mundo de Eva Nove, precisando apenas de uma webcam.

Farol Literário lança continuação de "A filha do Apanhador de Demônios"



Confira a capa e a sinopse da continuação de A Filha do Apanhador de Demônios, da autora Jana Oliver, que muito em breve chega às prateleiras das livrarias espalhadas pelo Brasil.


Após a devastadora batalha no Tabernacle, apanhadores estão mortos e feridos, o namorado de Riley, Simon, está no hospital, e agora o corpo de seu amado pai foi retirado ilegalmente do túmulo por um necromante muito poderoso. Como se isso não bastasse, há Ori, um caçador de demôniosfreelance que, mesmo contra a vontade de Riley, resolveu ser seu guarda-costas oficial. Há também Beck, seu “amigo” superprotetor que age mais como um velho rabugento. Com todas as dificuldades, Riley está quase pronta para deixar Atlanta para trás.
Mas, com a quantidade de demônios crescendo, o Vaticano finalmente envia seus próprios caçadores para controlar a situação e a cidade não virar um pandemônio. Apenas Riley sabe que ela pode ser o centro das atenções do inferno: Um poderoso demônio de Nível Cinco está atrás dela, e sua sorte pode não durar para sempre...

Paula Pimenta lança volume único de Fazendo Meu Filme




Para quem ama colecionar livros - como eu - está chegando um novo volume da saga de Fani em Fazendo Meu Filme. Mas, calma! Não tem nada de novo, são os quatro livros reunidos em uma edição super caprichada, que tem até capa dura! E sabe o que é melhor de tudo? A nova edição tem páginas amarelas! Pois é, se eu soubesse teria juntado todas as minhas economias que já não existem mais...

O lançamento do livro vai ser na Bienal do RJ.

Confira a capa que ficou lindíssima!


Ator de True Blood se junta ao elenco de A Culpa é das Estrelas



Sam Trammell, o Sam Merlotte de True Blood, vai dar vida ao pai de Hazel Grace em A Culpa é das Estrelas. Sam, ao lado de Ansel Elgort (Gus), Shailene Woodley (Hazel. A Atriz também vai interpretar a Tris, em Divergente), Nat Wolff (Isaac) e Laura Dern (Mãe de Hazel), deve fechar o grupo de personagens principais.

A adaptação será dirigida por Josh Boone (Stuck in Love), produzida por Marty Bowen e Wyck Godfrey (Saga Crepúsculo), e o roteiro fica por conta de Scott Neustadter e Michael H. Weber (500 Dias Com Ela). O filme começará a ser gravado nas próximas semanas em Pittsburgh.

A Culpa é das Estrelas tem previsão de chegada aos cinemas em 2015.

 
Vector Credits